VOLTANDO PRA CASA

COMPARTILHE esta Pregação:

    Sem comentários

"E desejava encher o seu estômago com as bolotas que os porcos comiam, e ninguém lhe dava nada" (Lucas 15.16).

- Meditação: Os publicanos, pecadores, fariseus e escribas ouviram de Jesus a parábola das cem ovelhas, as dez dracmas perdidas e por ultimo a estória dos dois filhos que morava com o pai.
Observamos que não é desejo do filho mais velho partir para longe de casa, conforme Jesus narra na parábola, mas o mais novo em seu coração sente o desejo de ir para longe de casa, porem precisava de recursos para a grande viagem, então solicita ao pai a parte da herança que não lhe cabia, visto que não era o primogênito, e o pai com toda disposição, sem saber da grande viagem, vende uma fazenda e divide com os dois, mas o filho mais moço logo revela o desejo de ir embora, enquanto que o mais velho ficar ao lado do pai.

 Queridos irmãos, não é licito que o crente venha desperdiçar o que recebeu da parte de Deus com o mundo, o que Deus lhe deu, é seu, e deve ser administrado com sabedoria, ora a graça é favor imerecido de Deus via Jesus a nós ainda pecadores remidos. Ninguém pode gloriar-se nesse assunto, é Dom de Deus. Viram que acima esta escrito que publicanos, pecadores, fariseus e escribas se faziam ouvintes das estórias de remissão dos pecados dos homens. Mas Lucas, em seu evangelho disponibilizar para todos durante a narrativa a palavra “pecadores,” isso nos revela que o termo somente era usado aos gentios, ou seja, os não judeus, nações sem Deus, cujos deuses eram estranhos. Na narrativa final dos filhos, é um pouco diferente das dracmas e ovelhas, pois houve festa regada de alegria ao achado da dracma perdida, uma moeda de ouro, houve festa no achado da ovelha, um animalzinho; que respira e tem vida, e não com menos valor para os seus donos a respeito da moeda de ouro. Notamos que nas mãos de Deus uma alma é valiosa, e observamos que nas mãos do mundo o dinheiro é o carro chefe de alguém ser aceito e ter valor, caso contrario é rejeitado e passa fome, fome de amor e perdão. No final da estória, o qual narra o regresso do filho mais novo, houve uma rejeição do filho mais velho que alega a sua permanência ao lado do pai, e acusa a irresponsabilidade do mais novo. É logo contestado pelo pai. A final de contas o filho mais velho também não recusou a parte da herança, ao contrario ficou usufruído também a parte que restou ao lado do pai. Inveja e ciúme, foi o que Jesus narrou, o que havia nos corações dos ouvintes religiosos em comparação aos pecadores que estava ao lado dos “santos” os filhos de Abraão.
“E os fariseus, que eram avarentos, ouviam todas estas coisas, e zombavam dele. E disse-lhes: Vós sois os que vos justificais a vós mesmos diante dos homens, mas Deus conhece os vossos corações, porque o que entre os homens é elevado, perante Deus é abominação” (Lc. 16.14,15). Então, agora você pode volta pra casa, pois Jesus derrubou todas as barreiras, na cruz do calvário, por amor a você e a mim. Para meditar:
"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna" (João 3.16).

Amém!

Pr. Álvaro Olímpio

IEL - Igreja Evangélica Ludovicense
 em São Luís do Maranhão
olvaro@rocketmail.com

Nenhum comentário:
Escreva Comente!

IDENTIFIQUE-SE para que seu comentário seja aceito.

Quem sou eu

Minha foto

Tenho prazer em meditar na Palavra de Deus.
Escrevo textos e reflexões sobre as Escrituras.

Siga-nos

Pregações por email

© 2016 Espaço do Pregador. Designed by Bloggertheme9
Powered by Blogger.