OS SEGUIDORES OCASIONAIS DE JESUS

COMPARTILHE esta Pregação:

    Sem comentários

I Coríntios 15.19
Este foi o segundo nível de relacionamento de Jesus com as pessoas que o procuravam para serem aconselhadas. Ex: O jovem rico não pertencia à multidão, simpatizava com Jesus, era crente fiel (característica forte "fidelidade e cumprimento da lei", mas quando confrontado voltou atrás, quando Jesus mostrou-lhe a cruz, retrocedeu. Há uma classe de pessoas na Igreja que ouve a palavra, ouve a direção, ouve conselhos, mas não tem compromisso em obedecer. Procuram seus líderes, são frequentes, participam das programações, etc... Porém são raquíticos espirituais, porque se alimentam de modo insuficiente da palavra, são anêmicos na fé, incrédulos, mornos e vivem como crianças.

Marcam presença, dão boas sugestões, jejuam, porém se auto conduzem à base de profecias, revelações e tolices.
Tem opiniões fortes, mas seu relacionamento com Deus é superficial, porque são limitadas no seu tratamento. São convencidas de que são muito espirituais, mas têm um relacionamento distante com Deus, com seus líderes e seus irmãos. Andam por conta própria, daí a desunião, multiplicidade de pensamentos, opiniões e direções ''onde cada um faz o que é certo aos seus próprios olhos''. Criticam a multidão por falta de compromisso, achando que são melhores por serem ativos e assíduos na igreja. Trabalhar na Igreja não define a profundidade da operação de Deus na nossa vida. Por terem talentos, são estabelecidos num lugar de liderança e é aqui que a Igreja sem visão de discipulado se dá mal. Para sermos estabelecidos como líderes, precisamos ter vínculo de discipulado. Qualquer outro meio é inseguro, porque essas pessoas sem discipulado podem dividir a liderança, sair da Igreja, são orgulhosas e sedentas por posições de destaque. Os seguidores ocasionais crescem mais que a multidão, mas são limitados pela obediência e em se deixar tratar. Enquanto há conveniência, enquanto se faz o seu gosto ou são vistas em lugares de destaque, caminham bem e em unidade. Mas quando começam a ser confrontadas ou tratadas, quando tem de abrir mão de posições ou razões pessoais, quando vem as pressões se escandalizam ou fogem do compromisso que haviam firmado. São cegas em relação a que Deus quer tratar com elas. Estão com os olhos fixos nas situações de um modo natural na Igreja que falhou com ela, na política da Igreja, são dominadas por um sentimento de auto piedade ou justiça própria, esperando que a liderança volte atrás e as considere. Não estão com entendimento aberto para as coisas espirituais nas quais Deus espera que cedam, se deixem tratar e aprofundem seus vínculos, amadureçam e deem frutos.
ALGUMAS CARACTERÍSTICAS: Relacionamento frequente, mas superficial; Foge das cobranças e pressões; Não suportam o confronto; São fiéis as programações, mas não se deixam tratar pela cruz; Não herdam nada espiritualmente; Tem opiniões próprias fortes, mas não recebem as revelações de Deus.


e-mail: agnaldoigarapava@gmail.com

Nenhum comentário:
Escreva Comente!

IDENTIFIQUE-SE para que seu comentário seja aceito.

Quem sou eu

Minha foto

Tenho prazer em meditar na Palavra de Deus.
Escrevo textos e reflexões sobre as Escrituras.

Siga-nos

Vídeos por email

© 2016 Espaço do Pregador. Designed by Bloggertheme9
Powered by Blogger.