Oito erros da Teologia da Prosperidade

COMPARTILHE esta Pregação:

    1 comentário

Mateus 6.25-34
O que de fato a teologia da prosperidade ensina é uma doutrina diferente dos ensinamentos bíblicos. E, portanto, deve ser rejeitada por todo cristão sincero e verdadeiro. 

Será que Jesus pregou prosperidade?

Eis alguns motivos porque eu não creio na teologia da prosperidade:

1. Porque a Bíblia afirma que não posso servir a Deus e ao dinheiro: “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas” (Mt 6.24).
2. Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males: “Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores” (1Tm 6.10). 3. Porque a teologia da prosperidade não ensina o arrependimento de pecados, ensino este (arrependimento) que é ordenado por Jesus: “e que em seu nome se pregasse arrependimento para remissão de pecados a todas as nações, começando de Jerusalém” (Lc 24.47). 4. Porque a teologia da prosperidade não me ensina estar contente: “Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes” (1Tm 6.8). 5. Porque a teologia da prosperidade ensina falsamente a imunidade a qualquer tipo de sofrimento, coisa esta que não tem base bíblica: “Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez; tudo posso naquele que me fortalece” (Fp 4.11-13). 6. Porque na teologia da prosperidade não há lugar para a mensagem da cruz: “tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz” (Cl 2.14). 7. Porque a teologia da prosperidade relativiza a importância das Escrituras por meio de novas revelações supostamente recebidas pelos seus líderes: “Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema” (Gl 1.8). 8. Porque a teologia da prosperidade só tem enriquecido a vida dos seus pregadores e empobrecido a vida dos seus seguidores: “O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância. Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida pelas ovelhas. O mercenário, que não é pastor, a quem não pertencem as ovelhas, vê vir o lobo, abandona as ovelhas e foge; então, o lobo as arrebata e dispersa” (Jo 10.10-12).

e-mail: agnaldoigarapava@gmail.com

Um comentário:
Escreva Comente!
  1. Jó era pobre nao abrao era pobre nao isaque era pobre naoo e jaco naoo e davi um homem segundo o coracao de Deus era pobre vai ler a biblia irma neofto

    ResponderExcluir

IDENTIFIQUE-SE para que seu comentário seja aceito.

Quem sou eu

Minha foto

Tenho prazer em meditar na Palavra de Deus.
Escrevo textos e reflexões sobre as Escrituras.

Siga-nos

Pregações por email

© 2016 Espaço do Pregador. Designed by Bloggertheme9
Powered by Blogger.