Intercessão

COMPARTILHE esta Pregação:

    Sem comentários

Isaías 59.16 e Hebreus 7.25 
-Introdução: Já repararam corno em nossas orações aparecem os pronomes ‘eu’ e ‘me’? Isso talvez seja sinal de quão pouco nós intercedemos por outras pessoas. Na verdade, na maioria das vezes, a nossas orações são centralizadas em si mesmo. Sofremos de certo egoísmo espiritual que nos afasta de forma quase que absoluta daquilo que a Bíblia chama de intercessão.
Você pode estar dizendo: ‘mas pastor eu oro, e oro muito’. Mesmo assim, eu preciso te dizer que a intercessão é mais do que urna vida de oração aparentemente satisfatória. O interceder é urna tremenda responsabilidade.
O autor T.A. Hegree, ensina de forma bem clara a diferença entre ser até mesmo um ‘lutador em oração’ e um intercessor: 
“O que luta em oração tem um peso; o intercessor um propósito.
O que luta em oração, ora pedindo certas coisas; o intercessor oferece-se a Deus para o cumprimento de seus propósitos.
Os lutadores em oração esperam ver respondidas as suas orações, os intercessores precisam ter suas orações respondidas” 

Intercessores, são de grande necessidade para a Igreja hoje.
O mundo clama, carece de intercessão. A Igreja espera e necessita de intercessores. Deus também procura alguém que interceda por seu povo.
Pense um pouco: porque às vezes as pessoas não se convertem embora, todos saibam que Deus está falando? Porque tão poucos pessoas são libertas se Deus quer operar? Porque parece que às vezes Deus não abençoa? Porque faltam intercessores.

Deus se dispõe a fazer grandes coisas através da intercessão do seu povo.
A Bíblia está cheia de grandes e belas promessas nesse sentido. Observe o exemplo quanto á obra missionaria no Salmo 2.8 Deus diz: “Pede-me e eu te darei as nações por herança” e Jesus disse: “rogai ao Senhor da Seara” (Mat 9.38). A Missão nasce da intercessão e só pode prosseguir através dela.
Eu não tenho duvida de que se a Igreja se despertasse para sentir sua
responsabilidade de interceder poderíamos evangelizar o mundo em pouco
tempo. 
O texto de Is 59.16 fala de uma grande decepção divina. Deus fica admirado e se decepciona profundamente quando não há intercessores entre o seu povo. Veja essa mesma expressão em Ez.22.30.
Infelizmente, esse é um ministério que poucos desejam. As pessoas sabem que há peso, há fardo, há responsabilidade, há batalha. 
MAS, o que ó intercessão?
O dicionário diz: pedir, rogar, suplicar por outrem. Intervenção, o que dá a ideia de ação. Através desse estudo vamos aprofundar no sentido mais lato, mais completo, do que vem a ser esse ministério de intercessão:

1- EXEMPLOS DE INTERCESSORES :
 Vamos citar os 4 maiores intercessores da Bíblia. Dois no A.T. e dois no N.T.
No Antigo Testamento: Moisés e Samuel.
Em Jr15.1, a expressão “ainda” mostra o peso da intercessão dos dois para Deus.
MOISÉS: Foi intercedendo por Faraó, Miriã, sua irmã; mas ele se sobressai como intercessor intercedendo pelo povo de Israel (Ex.32.11-14, 30-32; Nm.11.2, 14.13-19 16.22, 46-48; Dt 9.25-29).
SAMUEL: Sempre orava pelo povo (1 Sm.7.5, 8-9). Samuel tinha a intercessão com algo tão importante que chegou a dizer que o fato de não interceder é pecado (1 Sm.12.23).

No Novo Testamento: Paulo e Jesus 
PAULO: disse que se dispunha a sofrer pelos seus filhos na fé (Cl.1.24; Fp.2.17). Comprometeu-se em orar até que “Cristo seja formado em vós”. Declarou que agonizava por isso (Gl 4.19). O tempo todo, Paulo orava pelos irmãos na fé (Ef. 3.14-16).
JESUS: O maior de todos os exemplos de intercessão! Pensar em Jesus como intercessor e nesses exemplos que acabamos de ver, nos leva a crer que todo cristão deve ser um intercessor. Chegou a orar com lágrimas e suor em sangue pelos seus discípulos e por nós (Jo 17).

II- POR QUE TODO CRISTÃO DEVE SER UM INTERCESSOR?
Todo cristão deve ser intercessor, por que:
1) Porque é o exemplo de Jesus:
a) Em vida terrena
Boa parte do ministério de Jesus ele passou orando. O Evangelho é repleto desses exemplos de Jesus orando, intercedendo. Mesmo o cristão mais simples perceberia a ligação entre suas obras e sua vida de oração. Isso deveria criar em nós um desejo imenso de sermos como Ele na oração.
Vejamo-lo intercedeu:
-pelos inimigos, na cruz (Lc. 23.34).
-pelo envio do Espirito Santo (Jo. 14.16).
-por Pedro (Lc. 22.31-32). 
Duas orações mostram Jesus como grande intercessor no seu ministério: 
> Sua oração sacerdotal (Jo. 17.9,11, 15, 19).
> No Getsêmani (Lc. 22.44).
Pense: por que e por quem Jesus orava?
Jesus orava com intensidade absoluta, compenetração máxima e entrega total por nossas vidas.

b) Depois sua morte e ressureição
Depois que subiu aos céus, Jesus continua intercedendo por nós (Rom. 8.34).
Jesus, como intercessor:
- é o mediador (II Tm.2.5).
-o advogado (1 Jo 2.1).
-o Sacerdote eterno (Hb 6.19-20, 7.25, 9.11, 10.11- 12 e 12.25). 

2) Porque todos os cristãos são ‘sacerdotes’
No Antigo Testamento só o “Sumo-sacerdote” entrava no “Santo dos santos” uma vez por ano para fazer expiação pelo pecado do povo. Hoje temos grandes privilégios, benefícios e bênçãos da Graça com livre acesso a presença de Deus.
A doutrina do ‘sacerdócio universal de todos os crentes’ nos ensina que Deus nos fez sacerdotes para interceder no mundo (Ap. l5.10, 20.6; IPe. 2.5, 9; Hb. 10.19-20). 
Isso implica, em privilégios e responsabilidades! 
Os sacerdotes não têm apenas privilégios, mas grandes responsabilidades.
Não era por si próprio que o Sumo Sacerdote entrava no Santo dos Santos, exceto por ser da nação israelita Não entrava lá por sua causa, mas por causa do povo. Levava o sangue e o aspergia sobre o propiciatório e lá fazia a expiação. 
Como sacerdotes, temos o grande privilégio de entrar no Santo dos santos, sem intermediários humanos e adorar ao Senhor e contemplar a sua face, mas temos também uma grande responsabilidade de sermos ‘pontífices’ (sacerdote em latim), ou ‘construtores de pontes’ entre os homens e Deus e isso se faz, sobretudo através da intercessão. 

III – A NATUREZA DO SERVIÇO INTERCESSÓRIO:
O ministério de intercessão é:

1) Um trabalho de ‘coração e ombros’ 
a)      De ombros: o Sumo-sacerdote carregava os nomes das tribos em seu peito (Ex.28.29). O peitoral do sacerdote simbolizava que ele era movido pelo coração, levava Israel no coração. Uma oração dessa natureza não podia ser fria. A verdadeira intercessão tem coração. A verdadeira intercessão consiste em sentir a dor do condenado. 
b)      De ombros: Quem intercede leva a carga ou fardo por quem está orando (Ex.28.12). Sente o peso que o outro está levando.

2) Um trabalho de: 
a)      Sensibilidade: Um intercessor lamenta e suspira ao ver a condição do mundo. Como o exemplo de Ló (II Pe.2.7-8).
b)      Conhecimento da Palavra: Deus espera nossas demandas, nossos argumentos (Is. 62.6-7).
c)      Insistência: precisamos ser perseverantes em oração (Is.41.21).

IV - A POSIÇÃO DO INTERCESSOR
O intercessor assume as seguintes posições:

a)      Posição Substitutiva: ficando ‘no lugar de’.
O Sentimento básico de um intercessor é a compaixão (com paixão). Conforme o exemplo de Jesus que se entregou por nós. Moisés também orou ao Senhor pelo povo pedindo que riscasse seu nome do livro, caso não atendesse (Ex. 32.32). Paulo teve o mesmo sentimento por seus discípulos (Rom. 9.1-3).
b)      Posição intermediária: ficando ‘entre’
O sacerdote era um intermediário entre Deus e o povo. 
c)      Posição circundante: ficando ‘ao redor de’
A ideia é de “colocar-se na brecha” (Ez.22.30) para defender alguém, ou então  “erguer um muro” em torno de alguém, com propósito de proteger (Ez.13.5). 

V - QUEM PRECISA DE INTERCESSÃO?
De forma geral, diríamos que tudo o que faz parte do plano e da obra de Deus para o Seu Reino deve ser nosso alvo de intercessão. A vontade de Deus será sempre nosso mapa de intercessão. 
Alguns dos principais alvos de intercessão da Igreja são:
-todos os santos (Ef.6.18-19).
-os que lideram a Igreja (Rom. 15.30; Cl. 4.2,3).
-os que exercem autoridade (1 Tm. 2.2).
- todos os seres humanos (1 Tm. 2.1).

VI- QUEM NOS AJUDA NA INTERCESSÃO:
O nosso grande auxiliador na intercessão é a pessoa bendita do Espirito Santo, por que:
1) Porque a intercessão faz parte da sua própria natureza como:
            Consolador (Jo 14.26).
Advogado (1 Jo 2.1).
2) Nos ajuda na oração:
O Espírito Santo sabe que não podemos orar sozinhos (Rm. 8.26).
Precisamos de ajuda na intercessão (Tg. 4.3; Mt.20.22).

VII- OS PRIVILÉGIOS DE UM INTERCESSOR
Deusa abençoa os intercessores como:
1) Coparticipante da obra de Deus.
Um intercessor, literalmente, ajuda Deus a realizar a sua obra.
2) Pode fazer essa obra onde estiver. Em casa, em qualquer lugar, em todo o tempo. Não tem que ir às missões, à batalha. Pode trazer o campo de batalha ao seu quarto através da intercessão.
3) Galardão: Mesmo que ninguém reconheça o trabalho do intercessor, Deus promete que receberão um prêmio ou recompensa espiritual (Hb. 10.35).

PRECISA-SE DE INTERCESSORES!
-CONCLUSÃO:
Deus nos chama para sermos intercessores, para taparmos as brechas, para lutarmos em favor do seu povo, para que Sua vontade se cumpra.
Deus pode contar com você?
Com quem poderá Ele contar? Será que decepcionaremos a Ele?
Mesmo quem diz que não sabe fazer nada na obra do Senhor (não canta, não prega...) eis que grande oportunidade. Você pode fazer mais do que quem canta ou prega, intercedendo por eles, pagando o preço para que a bênção de Deus venha.
Como intercessor você pode fazer mais que todos os outros!




Nenhum comentário:
Escreva Comente!

IDENTIFIQUE-SE para que seu comentário seja aceito.

Quem sou eu

Minha foto

Tenho prazer em meditar na Palavra de Deus.
Escrevo textos e reflexões sobre as Escrituras.

Siga-nos

Vídeos por email

© 2016 Espaço do Pregador. Designed by Bloggertheme9
Powered by Blogger.