ACORDA IGREJA!

COMPARTILHE esta Pregação:

    Sem comentários

Tema: Tendências doutrinárias

II Pedro 2.1,2 e II Timóteo 4.1-5
-INTRODUÇÃO: De acordo com a Enciclopédia Histórico – Teológica da Igreja Cristã, “seita” vem do latim, secta, termo derivado do particípio passado de secare (cortar, separar) ou de sequi (seguir), e tem o sentido de partido, escola, facção (...) W. Martin, fundador do Instituto Cristão de Pesquisas, define seita como: “Um grupo de indivíduos reunidos em torno de uma interpretação errônea da Bíblia, feita por uma ou mais pessoas”. Sempre foi uma tarefa muito difícil, combater as seitas que existem por aí. Mas esta dificuldade multiplica-se quando se trata de denunciar os desvios doutrinários que ora se observa no próprio meio evangélico. São muitas as causas desencadeadoras destas tendências doutrinas, daí a necessidade de um estudo mais apurado afim de que sejam detectadas e devidamente combatidas.

I – AS CAUSAS DAS HERESIAS

Antes de tudo é preciso saber que estes acontecimentos são proféticos. “...haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão dissimuladamente heresias destruidoras” (II Pd. 2.1).
Enumeraremos as causas principais destes desvios doutrinários: 

1. Ação diabólica 

“... Nos últimos tempos alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios” (II Tm 4.1a).
A ação do diabo é sempre no sentido de enganar, de cegar (II Cor. 4.4); de roubar o ensino verdadeiro do coração do ouvinte (Mt 13.19); de semear aquilo que é contrário a obra de Deus (Mt 13.24,25).

2. Descuido da Igreja 


“Além das cousas exteriores, há o que pesa sobre mim diariamente, a preocupação com todas as igrejas” (II Cor. 11.28).
Enquanto “as virgens dormem” (Mt 13.25; 25.5), o inimigo aproveita para semear o joio, ou seja, algo muito parecido com a verdade, mas é mentira. Doutrinas que parecem ser bíblicas, mas são, na verdade, doutrinas de demônios. Este descuido inicia com o ministério que parece não ter noção do verdadeiro valor do rebanho de Deus (I Pd 1.18,19), e também, parece ter perdido a consciência da responsabilidade que lhe pesa sobre os ombros (At. 20.28,31). Segue ainda, o descaso com a Palavra de Deus e com a oração (At. 6.4; Ef. 6.17,18); com o treinamento de novos obreiros (II Tm. 2.1,2); com os “milagres” (Mt. 24.24) e com a doutrina. (I Tm. 4.16)

3. Desprezo da Hermenêutica


Quase todas as heresias e desvios doutrinários pretendem se fundamentar em textos obscuros e de difícil interpretação (II Pd 3.16). Como pudemos ver na primeira lição, existem as doutrinas fundamentais, que Deus deixou para nós, e são de fácil entendimento até mesmo por irmãos mais leigos (Mt. 11.25). No entanto, aqueles que querem ser “profundos” no conhecimento, e pretendem desvendar os mistérios ocultos na Bíblia (Dt. 29.29) que nem os grandes eruditos conseguiram desvendar, acabam por inventar doutrinas tendenciosas. A hermenêutica é a arte de interpretação. Ela nos ensina a interpretar a Bíblia dentro do seu contexto e depois aplicar à nossa realidade. Alguns partem da sua própria experiência e depois procuram na Bíblia textos que o confirmem. O apóstolo Pedro nos adverte quanto a isso, dizendo que nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação (II Pd. 1.20,21).

4. Falta de maturidade espiritual 


“Para que não mais sejamos como meninos” (Ef. 4.14a). 

As características principais de uma criança são: Apego às cousas que lhe causam admiração, curiosidade, irresponsabilidade e dependência. Estes cristãos infantis se deixam levar por todo movimento que surge de repente e que não passa de invenção de homens astuciosos que induzem ao erro (Ef. 4.14). A recomendação bíblica é para que segundo a verdade cresçamos em tudo naquele que é o cabeça, Cristo (Ef. 4.15).

5. Apostasia 


“Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos alguns apostatarão da fé”. (I Tm 3.1a). 

A palavra apostasia significa deserção da fé; mudança de crença, partido ou opinião. Nunca si viu tanta apostasia como nos nossos dias. O inimigo tem usado todas as formas para enlaçar, tanto pagãos, como cristãos. Exemplos: Seitas heréticas, organizações duvidosas, como é o caso da Maçonaria, movimentos diabólicos, como o Ecumenismo e a Nova Era. Nesta investida passou a atuar em nosso meio levando muitos a apostatar da fé (II Ts 2.3; Jd. 18).

6. Aversão à verdade


“Haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina... e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas” (II Tm 4.3,4). 

Este texto bíblico tem se cumprido literalmente em nossos dias. Muitos não suportam uma pregação ou estudo bíblico autênticos. Se irritam quando ouvem um doutrinador coerente com as escrituras, dizem que seus ensinos são costumes e tradições de homens e chamam-no de radical, recusando-se assim a “dar ouvidos à verdade.” Mas o apóstolo diz ainda que tais pessoas depois de recusar a Palavra Santa de Deus, agravarão o seu estado pecaminoso, “entregando-se às fábulas”. A palavra fábula significa: Ficção, mentira, invenção, fingimento, etc. As tendências doutrinárias, são fábulas, produto da mente carnal de homens arrogantes que mantém a forma de piedade (II Tm 3.1-5), a fim de dominar os seus seguidores.

7. Homens gananciosos 


“... apegado à Palavra fiel que é segundo a doutrina, de modo que tenha poder, assim para exortar pelo reto ensino como para conhecer os que contradizem... É preciso fazê-los calar, porque andam pervertendo casas inteiras, ensinando o que não devem, por torpe ganância” (Tt. 1.9,10). 

A ganância, o amor ao dinheiro, o desejo pela fama e pela glória terrena, tem levado muitos a criarem seu próprio ministério. Exemplos de ministérios independentes: Evangelho da Saúde, Teologia da Fé, Avivamento da Verdade, Palavra da Fé, etc. A partir daí fica mais fácil o surgimento de doutrinas heréticas porque estes fundadores de ministérios não sofrem qualquer tipo de questionamento. Eles são tidos pelos seus seguidores como “Super Crentes”, que tiveram visões especiais de Deus e, supostamente, conseguem grandes revelações bíblicas que nem mesmo os grandes eruditos conseguiram ter (II Cor. 11.13-15). O objetivo destes “mestres” é arrastar após si o maior número de discípulos, sempre visando lucro financeiro (At. 20.29,30; 33-35).

II – CONSEQUÊNCIAS DAS HERESIAS

O Instituto Cristão de Pesquisas (ICP), em São Paulo, fala dessas doutrinas como “doutrinas tóxicas”, e diz que elas precisam ser detectadas, pois a Palavra de Deus não pode ter a menor mistura. O apóstolo Pedro exorta os crentes a recordarem das palavras dos profetas (Antigo Testamento) e dos apóstolos (Novo Testamento) (II Pd 3.2), pois a maioria dos cristãos precisam mais de ser lembrados do que informados. Eis as principais consequências destas tendências doutrinárias:

1. Desvio do alvo


O cristianismo difere das religiões e movimentos que enchem o mundo. Quando alcança o homem, imediatamente lhe propões uma carreira (Hb 12.1b), e a partir daí, este homem deverá empenhar-se com todas as suas forças, em alcançar o alvo que o espera no fim da carreira. (Fp. 3.8-14) O papel principal de Satanás é fazer o crente desviar-se do alvo. Para isso ele tem dado entretenimentos para os crentes imaturos. “crianças” em Cristo (Hb. 5.12-14). Todos estes movimentos e falsos avivamentos, são na verdade entretenimentos, para onde os crentes imaturos correm aos montões para se divertirem passando o tempo e para se deslumbrar com os “sinais” e “maravilhas”. Esta atitude é totalmente contrária aos ensinos bíblicos de Gênesis a Apocalipse.

2. Divisões 


Cada dia que passa, surge mais um ministério independente. Disfarçadamente é mais uma divisão. Normalmente estes movimentos vão surgindo e arrastando crentes de denominações já bem estruturadas. (At. 20.30) Isto porque estes enganadores (Tt. 1.10,11;16), nunca se preocupam em evangelizar os incrédulos e fazer novos discípulos. Eles agem sempre apoiados na pretensiosa justificativa de que a Igreja está toda errada e Deus os levantou para restaurá-la.

3. Escândalos 


O “espírito do erro” (I Jo. 4.6) que opera leva estes inovadores a inventarem toda espécie de esquisitices, tais como: Rodopios, danças indígenas, gritos e sons imitando animais, gargalhadas assustadoras, gestos frenéticos, que fazem os crentes sinceros e os que não conhecem o evangelho escandalizarem.

4. Morte espiritual 


Satanás veio para roubar, matar e destruir (Jo 10.10) Primeiro ele rouba do coração do crente desprecavido a verdade semeada (Mc. 4.15), depois, por meio destes movimentos heréticos, sufoca o crente com “ervas daninhas” (Mc. 4.19) por fim, para destrui-lo, envenena-o com “doutrinas tóxicas” (II Pd 2.1-3), visto que estes desvios doutrinários muitas vezes não permitem ao crente enganado retornar à verdade. Pois cria-se resistência à verdade salvadora (II Tm 2.25,26).

e-mail: agnaldoigarapava@gmail.com

Nenhum comentário:
Escreva Comente!

IDENTIFIQUE-SE para que seu comentário seja aceito.

Quem sou eu

Minha foto

Tenho prazer em meditar na Palavra de Deus.
Escrevo textos e reflexões sobre as Escrituras.

Siga-nos

Vídeos por email

© 2016 Espaço do Pregador. Designed by Bloggertheme9
Powered by Blogger.